Lactalis irá retirar lote do leite em pó da Parmalat por risco de salmonela

A empresa responsável pela marca Parmalat, a multinacional francesa Lactalis, irá retirar de 83 países vários lotes do produto leite em pó. O motivo desta grande retirada é a suspeita de contaminação por salmonela, que vitimou uma grande quantidade de crianças na França.

“Há 83 países afetados, que estão sob o mesmo procedimento de retirada de produtos. Temos um gabinete de crise tanto para o exterior como para a França”, disse Emmanuel Besnier, diretor-executivo da multinacional, que falou sobre os casos ocorridos na França durante uma entrevista concedida ao Le Journal du Dimanche. Porém, o diretor não divulgou quais são os países afetados pelo lote de leite em pó contaminado com salmonela e distribuído pela Parmalat.

Já foram diagnosticados 35 bebês franceses com salmonela devido ao consumo do leite em pó. Logo que o problema foi detectado pelas autoridades de saúde pública francesa, a França passou a proibir o produto em todo o seu território desde o final de dezembro do ano passado, quando foram constatadas as fontes de contaminação por salmonela. Desde então, os bebês tiveram recuperação e estão estáveis.

Sendo considerada uma das marcas de leite em pó voltadas para o consumo de bebês mais consumidas em todo o mundo, a gigante Lactalis pode ter feito outras vítimas com este lote contaminado fora do território francês. Uma delas pode ser um bebê que vive na Espanha, que foi diagnosticado com gastroenterite e consome o leite em pó da marca. O outro caso foi detectado na Grécia e não tem confirmações oficiais se teve influências do leite em pó da marca Parmalat.

“Há denúncias contra nós, haverá uma investigação e nós colaboramos com tudo o que a Justiça nos pedir, ainda que nunca haverá risco zero nesta questão, como acontece em outras marcas e produtos industriais vendidos em todo o mundo”, explicou Besnier.

Fundada no ano de 1933, a empresa Lactalis acabou se tornando uma grande multinacional que atua no setor lácteo após uma fusão com a Parmalat, ocorrida em 2011. A multinacional também adquiriu as marcas Batavo, e Elegê aqui no Brasil, fusão ocorrida após grande negociação com a BRF.

Dificuldades que estão sendo enfrentadas pelo Papa Francisco

O papa Francisco está perto de completar cinco anos como o pontífice da Igreja Católica, e durante todo esse tempo ele vem enfrentando problemas principalmente dentro do Vaticano. Ele vem trabalhando para mudar os conceitos da igreja e levar mais fiéis para o caminho do bem. Considerado o papa do fim do mundo, Jorge Mario Bergoglio também é o papa que enfrentou a ditadura militar em seu país de origem, a Argentina; percorreu favelas na capital argentina; e possui ideais muito claros em suas oratórias, e que muitas vezes estão ligados em assuntos difíceis para a fé católica.

Alguns dos assuntos já abordados pelo papa, foram o respeito aos homossexuais, a aceitação das mães solteiras e  a permissão do divórcio,  já que existem casos em que ele é necessário. Ele ainda tomou algumas atitudes visando renovar a igreja, como desencorajar a realização de missas em latim, afastou sacerdotes envolvidos em corrupção e desvios, promoveu laicos e criticou aqueles que concordam incondicionalmente com o clero. Enfrentou situações complicadas que são debatidas há séculos, apesar de não ser ter sido o primeiro papa a fazer isso, e ainda foi o primeiro a mexer em redes sociais.

O Papa Francisco não esconde o que pensa, mas sempre concede o perdão em questões que apresentam qualquer tipo de conflito. Com um caráter misericordioso, o papa pratica sempre ações baseadas em sua ordenação jesuítica.

Mas a visão que o Papa Francisco declarou em relação ao divórcio, de que em certos casos se torna necessário para defender a parte mais delicada ou os filhos, foi a que causou um maior furor entre um determinado grupo de cardeais, já que pela liturgia católica quem se separa e depois se casa novamente, está sendo infiel.

Um grupo de cardeais representado pelo respeitado cardeal americano Raymond Burke, enviou uma carta em que solicitava explicações ao papa sobre o assunto. Em outro pronunciamento interno da igreja católica, um grupo formado por padres e teólogos com cerca de quarenta membros, enviou um manifesto assinado por eles em que acusavam o papa de ter cometido uma blasfêmia, e pediam uma correção em relação à divulgação desse assunto.

Além de enfrentar todas essas questões internas, o papa ainda mostra uma preocupação muito grande com todos os conflitos que assolam a humanidade, também com a fome e o desespero dos refugiados, se posicionando sempre e pedindo misericórdia dos poderosos em relação aos mais desfavorecidos.

 

Pesquisadores ampliam a eficiência do etanol com gene identificado

A revista New Phytologist, publicou uma notícia que agradam os produtores de etanol. A equipe formada por pesquisadores do Reino Unido, Estados Unidos e Brasil identificou um gene envolvido nas duras paredes celulares de vegetais. A liberação de açúcares aumentou em 60% após a supressão desse gene. De acordo com os pesquisadores, a produção do etanol de segunda geração realizado através da biomassa vegetal, se trata de uma descoberta com avanços importantes.

O Brasil possui uma indústria de bioenergia em crescimento que utiliza resíduos de gramíneas como biomassas dedicadas à produção de bioetanol, segundo o pesquisador Hugo Molinari, do Laboratório de Genética e Biotecnologia da Embrapa Agroenergia.

A descoberta do gene irá permitir o desenvolvimento de plantas com paredes celulares mais fáceis de quebrar, e isso aumentará a produção e ajudará substituir os combustíveis de origem fóssil.

Os pesquisadores utilizaram um transgene para suprimir o gene endógeno responsável pela rigidez nas paredes da célula, para aproximadamente 20% da sua atividade normal. Dessa maneira a biomassa produzida se tornou menos rígida em comparação com uma planta que não foi modificada.

O pesquisador, e co-lider da equipe do Rothamsted Research do Reino Unido, Rowan Mitchell, prevê que agora é necessário descobrir como esse gene atua cientificamente, para poder tornar o processo mais eficiente.

Segundo o professor de bioquímica da Universidade de Wisconsin-Madison e pesquisador do Centro de Pesquisas de Bioenergia dos Estados Unidos, John Ralph essa foi uma descoberta difícil. Ele disse que o grupo vem trabalhando desde o inicio de 1990 nas ligações cruzadas de ferulatos na parede celular das plantas e desenvolveu métodos de ressonância magnética nuclear que foram úteis no estudo.

O cientista da Embrapa afirma que somente o Brasil, os mercados com potencial desta tecnologia foram avaliados em R$ 1,3 bilhão no segmento dos biocombustiveis e de R$ 61 milhões para a alimentação dos bovinos.

Todos os anos são produzidos bilhões de toneladas de biomassa comentam Mitchell, e uma das características desses pastos é a digestão do que será nutritivo para os animais e reduzirá a emissão de gases produzidos e dessa maneira colaborar na redução do efeito estufa.

 

Empresa de sabão que inovou e errou ensina lição para outras empresas

Quando uma empresa está consolidada no mercado um dos maiores desafios é manter a sua reputação e a qualidade de seus produtos diante da concorrência e da disputa que o mercado impõe.

Nem sempre ter decisões que parecem inovadoras é a melhor maneira de continuar mantendo destaque. É isso o que algumas empresas provaram e que muitos outros empresários podem aprender com esses exemplos.

Os riscos que as empresas podem assumir ao lançar um novo produto ou um novo serviço devem ser meticulosamente calculados, porque caso haja algum erro ele deve ser corrigido o mais rápido possível para evitar danos à imagem e ao lucro da empresa.

Às vezes ideias que podem parecer boas não apresentam o resultado esperado e além disso se tornam um desastre.

As empresas multinacionais de sabão em pó Unilever e Procter & Gamble (P&G) sempre estiveram em disputa pelo mercado. No Reino Unido o produto que estava dominando o ramo era o Persil (empresa Omo no Brasil) que era fabricado pela Unilever.

Depois que foi lançado em 1909, o sabão em pó rapidamente se tornou o favorito no país. O sabão também era associado a uma imagem familiar, com mães e parentes contentes nas propagandas.

Sem tantas emoções, o Ariel era um concorrente que não investia em uma imagem mais emotiva para a sua marca. O foco era a limpeza prática e eficiente de muitas manchas, principalmente as difíceis, o que chamou a atenção dos consumidores.

Quando o Persil começou a ter uma queda nas vendas então começou a disputa que ficou famosa como a “guerra do sabão”. Para incomodar a concorrente Ariel, foi desenvolvido um produto que prometia a remoção eficaz de manchas e sujeira. Na fórmula do sabão em pó havia um novo elemento químico, o manganês, chamado de “acelerador” pela Unilever.

Depois que os clientes começaram a utilizar o novo produto, a insatisfação começou a tomar conta. A lavagem com esse sabão em pó gerou furos nas roupas, então o produto teve que sair de circulação e provocou um prejuízo estimado em US$ 350 milhões. Após quatro anos a empresa conseguiu recuperar o seu prestígio com os seus Persil Tablets.

 

Relembre a trajetória de José Auriemo Neto até se tornar o rei do luxo

Image result for José Auriemo neto

José Auriemo Neto é natural de São Paulo, e se tornou um dos executivos mais jovens a assumir a presidência de uma grande incorporadora no país, a JHSF fundada na década de 70 pelo seu pai, Fábio Auriemo. Apesar da pouca idade, Zeco, como também é conhecido pelos familiares e amigos, assumiu toda essa responsabilidade com grande destreza, se dedicando totalmente a rotina agitada da corporação.

Desde cedo José Auriemo Neto teve experiências que estimularam o seu espírito de liderança e também uma visão precisa sobre temas diversas. Entre essas experiências, ele participou de uma Convivência Internacional de Jovens, realizada no Japão, e ainda se mudou por alguns meses para a Europa, para jogar futebol a nível amador no continente.

No período em que iria começar a universidade, José Auriemo Neto decidiu cursar Engenharia, e foi estudar na Faculdade de Engenharia de São Paulo. Porém, antes de terminar o curso, Zeco tomou a decisão de deixar a faculdade para conseguir se dedicar plenamente aos negócios da família, nos quais ele já estava envolvido desde os 17 anos, quando começou a trabalhar por meio expediente na JHSF.

A JHSF foi modificando o seu posicionamento no mercado corporativo desde os anos 90, época em que investiu de forma contínua na área da incorporação. Essa escolha possibilitou que a empresa crescesse bastante e se tornasse uma das principais do Brasil nesse setor. Atualmente, a incorporadora detém o controle administrativo de vários estabelecimentos em cidades do estado São Paulo e também em Manaus e Salvador. Esses empreendimentos incluem edifícios comerciais, condomínios de veraneio, centros comerciais como o Shopping Metrô Santa Cruz, e muito mais.

Sob a liderança de José Auriemo Neto, a empresa se direcionou ao ramo da incorporação de luxo, que crescia rapidamente no país durante os anos 2000. Nessa área, a JHSF investiu consideravelmente no projeto do Parque Cidade Jardim, um grandioso empreendimento multifunções localizado na Marginal Pinheiros. Esse local escolhido para a construção do complexo chegou a receber opiniões contrárias por muitos especialistas, que enxergavam essa região de São Paulo como inapropriada para um complexo tão luxuoso.

Apesar disso, o executivo não desistiu de dar continuidade a esse projeto, e comprou o terreno em que o Parque Cidade Jardim foi construído. Após ser concluído, o complexo consiste em um enorme shopping center, nove torres residenciais, quatro prédios comerciais e um edifício em que alguns andares funcionam como sede do hotel Fasano. Além de gerar muitos lucros, esse projeto ainda possibilitou que a JHSF negociasse seus papéis na Bolsa de Valores de São Paulo, elevando a empresa a outro patamar.

Ao mesmo tempo em que conquistava uma carreira de sucesso, José Auriemo Neto também construiu uma família com Mariana Landmann Auriemo, que é a mãe dos seus filhos. Mesmo com a rotina agitada na empresa, Zeco faz questão de passar seu tempo com a família, estando sempre que possível presente no dia a dia dos filhos. Nas férias e feriados, por sua vez, o executivo costuma jogar golfe, atividade que ele começou a admirar há alguns anos.

 

Ministério da Saúde informou que as mortes no trânsito reduziram 10% em 2016

O Ministério da Saúde informou no dia 22 de dezembro de 2017 que o número de mortes causadas por acidente de trânsito no país caiu 10% no ano de 2016. A comparação dos dados do ministério foi feita com o ano de 2015.

Em 2016, os dados do ministério apontaram que o número de vítimas que morreram por causa de acidentes de trânsito foi de 34.850. No ano anterior, a quantidade de mortes foi 10% maior, um total de 38.651. Contudo, o ministério informou que o número de internações médicas que ocorreram em 2016 sofreu um aumento de 14%, indo de 158 mil no ano de 2015, para um total de 180 mil no último registro em 2016.

O SIM – Sistema de Informação sobre Mortalidade, sistema do Ministério da Saúde responsável por identificar a mortalidade no Brasil, revelou que desse total de mortes causadas por acidentes de trânsito em 2016, um terço corresponde aos motociclistas, que ainda são as principais vítimas de acidentes de trânsito no país. Além da alta taxa de mortalidade no trânsito, os condutores de motos representam a maior parcela de vítimas internadas durante o ano de 2016, sendo 58% de todas as internações causadas por acidentes de trânsito.

A OMS – Organização Mundial da Saúde – informou através de dados levantados no mundo inteiro, que 1,25 milhão de pessoas morrem por causa de acidentes de trânsito todos os anos. Além disso, outras 50 milhões de pessoas são feridas anualmente por causa desse grande problema.

Segundo o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde, a bebida alcoólica ainda é uma das principais causas de acidentes de trânsito no Brasil e no mundo. O ministério informou em seus dados que o número de motoristas que declararam dirigir alcoolizados aumentou em 2016, indo de 5,5% em 2015 para um total de 7,3% em 2016.

Atualmente, a Lei Seca determina que o motorista que dirigir bêbado poderá ser multado em até R$ 2.934,70, além de ter a carteira de habilitação suspensa por um período de 12 meses. O valor da multa ainda pode sofrer alteração caso o motorista flagrado já tenha sido multado antes pelo mesmo motivo, nesse caso o valor da multa dobra.

 

Sete cidades e regiões do interior mineiro ideais para relaxar

O estado mineiro já é bastante conhecido no setor turístico pelas cidades que fazem parte do roteiro histórico, como Ouro Preto e Tiradentes. Mas o estado possui um grande potencial também no que diz respeito ao turismo ecológico, espiritual e rural, com diversas cachoeiras, serras e vales. Algumas dessas belas cidades e regiões mineiras são:

Vale do Matutu – Essa região apresenta diversas cachoeiras e é um lugar perfeito para aproveitar a tranquilidade, em perfeita harmonia com a natureza. A região não tem sinal de celular e as pousadas oferecem uma gastronomia simples, com produtos plantados na própria região.

Definópolis – Essa cidade é bem próxima do Parque Nacional da Serra da Canastra, com um acesso bem facilitado para a região do parque. Existem diversas pousadas pequenas na região e geralmente estão localizadas em fazendas, que ficam um pouco distantes do centro e da agitação.

Gonçalves – Essa cidade fica próxima da  Serra da Mantiqueira,  de bosques de Araucárias e de Pinheiros, que fazem parte dos caminhos para as cachoeiras e outros atrativos de ecoturismo. Existem várias pequenas pousadas próximas para relaxar e comer muito bem.

Serra do Lopo – Essa região fica na cidade de Extrema, onde existem excelentes trilhas pela Mata Atlântica, além de apresentar um dos raftings mais impressionantes do Brasil. Duas rampas de asa-delta e alguns mirantes de onde o visitante pode desfrutar uma vista incrível, fazem parte dessa região.

Conceição do Mato Dentro – Esse pequeno município fica no sopé da Serra do Espinhaço, sendo que essa cidade é considerada por muitos como a capital brasileira do ecoturismo. Nesse local está a terceira maior cachoeira do país, a Cachoeira do Tabuleiro, além da cachoeira Três Barras e da Cachoeira Rabo de Cavalo. Mas o município reserva paz e tranquilidade para aqueles que não possuem um espírito aventureiro.

Pico da Bandeira – Essa montanha é a terceira maior do país, com 2.892 metros de altura. Ela está localizada no Parque Nacional do Caparaó, na fronteira dos estados do Espírito Santo e de Minas Gerais. Diversas cachoeiras e trilhas fazem parte do passeio, daqueles visitantes que não se arriscam a escalar o pico.

Parque Nacional da Serra do Cipó – Este local é bem próximo da capital mineira, Belo Horizonte. Por apresentar uma distância curta da cidade, algumas das principais atrações como a Cachoeira Véu da Noiva e a Cachoeira da Farofa, podem ser visitadas tanto por moradores como por turistas que estão visitando Belo Horizonte.

 

Luiz Carlos Trabuco Cappi, do Bradesco, fala sobre o peso da reforma da Previdência

Em entrevista, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, declarou que a reforma da Previdência é o tema de maior importância entre todas as reformas estruturais discutidas atualmente. De acordo com o executivo, é essencial que essa reforma seja aprovada para que o governo coloque em prática as suas medidas a médio prazo e permaneça fiel ao teto dos gastos públicos.

Aos jornalistas presentes na entrevista, o executivo disse acreditar que a reforma da Previdência seja aprovada antes das eleições presidenciais de 2018. Devido a diversos fatores, a reforma não pôde ser aprovada em 2017, mas de agora em diante, a aprovação depende diretamente do atual governo.

De acordo com Luiz Carlos Trabuco Cappi, uma possível não aprovação da previdência provaria um aumento insustentável nos custos do financiamento do Tesouro Nacional, tendo em vista que a situação fiscal do país já está se deteriorando há alguns anos. Desse modo, a aprovação é necessária para evitar problemas e conflitos no futuro.

O presidente executivo do banco Bradesco disse ainda que o crédito atualmente já demonstra uma tendência de tração, o que pode ser observado através do aumento da demanda com base no fluxo de propostas diárias. A linha de capital de giro, por exemplo, não apresentava nenhum crescimento há cerca de dois anos, tendo voltado a crescer no último trimestre do ano de 2017.

Para ele, as estimativas de juros a curto prazo demonstram que o ano de 2018 deverá ser positivo, mesmo com o fato de haverem as eleições presidenciais. Com as previsões econômicas já definidas, o executivo Luiz Carlos Trabuco Cappi chama a atenção para a incerteza acerca da questão fiscal, que devido a tendência de alta dos juros nos próximos anos, é um fator que precisa ser tratado com cuidado.

No cargo de presidente da instituição bancária desde 2009, o executivo trabalha na empresa há quase quatro décadas, tendo iniciado sua jornada no banco em 1969. Após conseguir seu diploma no curso de Filosofia da Universidade Estadual Paulista (UNESP), ele avançou de modo orgânico nos cargos hierárquicos do banco, tendo sido inclusive o presidente do segmento de seguros, por exemplo.

Nessa função de comando na área de seguros da empresa, Luiz Carlos Trabuco Cappi realizou um trabalho de grande reconhecimento. No período que permaneceu a frente desse cargo, o segmento de seguros chegou a representar cerca de 30% dos lucros totais da instituição, um índice surpreendente para os padrões da empresa.

A partir do ano de 2009, quando atingiu o cargo de comando máximo da empresa, Luiz Carlos Trabuco Cappi enfrentou diversos desafios no cargo, como todo o processo de aquisição das contas do HSBC no país, em 2015, o qual se tornou a maior fusão entre bancos já feita até os dias de hoje no país, envolvendo somas de mais de US$ 5,2 bilhões. Mais recentemente, o grande desafio enfrentado pelo executivo e o corpo de profissionais do banco é a digitalização dos serviços realizada em conjunto com diversas melhorias no atendimento e no ambiente das agências.

 

Época de Natal 2017 no Brasil indica calor e chuva

Como todo dia 21 de dezembro, começa o verão no hemisfério Sul, que segue até o próximo dia 20 de março, tendo em vista que o hemisfério passa a receber maior quantidade de raios solares o que propicia além do calor, dias que naturalmente duram mais. No Brasil como sempre, é uma das estações mais festejadas, pois como seu território é significativamente rico em orla marítima, propiciando lindas praias, celebra-se o verão mais que todas as outras estações, tanto para os nativos quanto para os milhares de turistas que visitam o Brasil nesta época para aproveitar as inúmeras belezas praieiras.

O verão brasileiro de 2017, que começa um pouco antes do feriado natalino, mostra expectativas de muito calor, sensação de abafamento e chuvas, espalhadas por quase todas as regiões brasileiras, alegam os meteorologistas. Mas o tempo chuvoso não será de grandes volumes que podem resultar em enchentes graves, e sim de chuvas estáveis que causam instabilidade, como tem sido desde a primavera.

Algumas regiões no entanto têm tido episódios de chuvas um pouco mais frequentes, como é o caso das regiões sudeste, centro-oeste e sul. A chuva ameaça ocorrer até nas localidades do semi-árido nordestino, que permanecia com tempo seco há cinco anos. O tempo estabilizado está sem diferenças muito drásticas, no entanto, advertem os meteorologistas a chegada de temporais em algumas cidades de estados específicos como São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul. Antes destas fortes chuvas – pancadas de chuva inclusive com raios – haverá muito calor abafado. Alguns estados nordestinos terão episódios semelhantes, como Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão e Ceará.

Pontos turísticos do sudeste receberão igualmente, no sábado véspera do natal 2017, chuvas fortes, que se concentrarão no litoral norte de São Paulo (refúgio de praias ´procuradas na época), na Serra da Mantiqueira (cadeia de montanhas que se expande entre SP, MG e RJ), Angra dos Reis (região com prais paradisíacas e centenas de ilhas, muitas desertas), e até a cidade de Resende, também carioca.

 

É possível determinar a qualidade de um champanhe pelo som de suas bolhas

 

É possível reconhecer se um champanhe é de boa ou má qualidade apenas analisando o som de suas bolhas e sua efervescência, segundo pesquisadores da Universidade do Texas, Estados Unidos. Basicamente, quanto melhor eles soam, melhor o champanhe será, o que significa que é de maior qualidade.

Os pesquisadores publicaram suas descobertas em um estudo depois de realizar experimentos com champanhes caros e de alta qualidade e com os tipos mais baratos. No relatório, eles determinam que, enquanto as bolhas forem menores e de tamanhos mais iguais, elas terão um som mais agudo, semelhante ao de um sino. Neste caso, o champanhe é de melhor qualidade. Segundo Kyle Spratt, um dos responsáveis ​​pelo estudo:

“As bolhas são muito ressonantes. Basicamente eles soam como sinos, e a freqüência desse sino depende, em parte, do tamanho das bolhas. […] Graças aos dados acústicos, conseguimos determinar que o champanhe mais caro e luxuriante produz bolhas menores e mais uniformes, além de uma maior atividade de bolhas”.

Os resultados não só levam em conta quando as bolhas explodem, mas também quando são formadas ao entrarem em contato com os copos. Além disso, a formação de bolhas varia de acordo com o material do copo em que é servido (vidro ou plástico, por exemplo).

Para realizar o estudo, eles usaram hidrofones (microfones projetados para gravar debaixo d’água). No entanto, eles explicam que ainda não determinaram um método ou fórmula para “medir” a qualidade do champanhe dependendo do som de suas bolhas, porque quando as bolhas se formam ao redor do hidrofone isso pode alterar os resultados.

A indústria do viho tem usado durante muitos anos o tamanho e a formação de bolhas como método para demonstrar a qualidade da bebida, mas agora esta técnica é transferida para o champanhe: desde que as bolhas sejam maiores e desproporcionais, a qualidade será menor.