Jorge Moll informa sobre a ligação entre praticar boas ações e a saúde humana

Recentemente, foi descoberto que a prática de boas ações é capaz de estimular regiões do cérebro que estão relacionadas a sensações de bem-estar e satisfação. O responsável por essa conclusão foi o presidente do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor), Jorge Moll Neto, que de tornou o primeiro neurocientista a perceber uma ligação entre práticas voluntárias e a saúde humana.

De acordo com uma pesquisa feita pelo Datafolha no ano de 2015, encomendada pela Fundação Itaú Social, cerca de 28% dos brasileiros praticam alguma ação voluntária. Entre os 72% que nunca fizeram nenhuma caridade, a imensa maioria é formada por jovens e também por pessoas com baixo nível de escolaridade e de baixa renda.

Em todo dia 5 de dezembro, é comemorado mundialmente o Dia Internacional do Voluntariado, e para aqueles que desejam se envolver mais com o tema no Rio de Janeiro, existem várias instituições e eventos no Brasil que promovem e divulgam a importância da prática de boas ações, reporta Jorge Moll Neto.

Um bom exemplo disso é o Desafio Solar Brasil, um campeonato criado em parceria entre a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Prefeitura e Secretaria Estadual de Esporte. Nele, centenas de estudantes precisam realizar percursos em barcos movidos a energia solar, ressaltando o quanto as energias limpas são importantes para o futuro.

Outro local que reúne voluntários é o Parque Nacional da Tijuca, um dos principais santuários naturais da capital carioca. De tempos em tempos, o local abre as inscrições para selecionar voluntários dispostos a ajudar na preservação do parque, os quais podem ser de qualquer idade, desde que os menores de 18 anos tenham a autorização de um responsável, noticia Jorge Moll Neto. Em cerca de dez amos, mais de cem mutirões com foco em preservação ambiental já foram promovidos no local.

Entre os projetos sociais voluntariados da cidade, também é possível citar o trabalho do “Chega de Saudade”, um grupo criado no ano de 2009 e que já encontrou mais de 50 crianças desaparecidas nesse período. Para isso, esse projeto divulga as fotos das crianças desaparecidas nas cartelas que acompanham os botijões de gás, ação essa feita em parceria com a Supergásbras.

Além disso, vários centros comerciais também possuem campanhas sociais em andamento. No Shopping Grande Rio, por exemplo, a ação “Loja de Brinquedos Vazia” arrecada doações para o orfanato Novo Amanhecer e para o programa “Lutando por Vidas”, informa o neurocientista Jorge Moll Neto.

O West Shopping, por sua vez, promove a ação “Doando Alegria”, a qual coleta doações para o Grupo Cultural Nosso Ritmo, que fica na vizinhança de Senador Vasconcelos, reporta Jorge Moll Neto. Já o Bangu Shopping, este possui um estabelecimento chamado Loja Troca Amor, onde os clientes pode escolher alguns objetos em troca de se comprometerem a praticar ações sociais no bairro. Esses são apenas alguns exemplos de trabalhos voluntários que fazem a diferença no estado do Rio de Janeiro, mas além desses, existem várias outras iniciativas sérias e de grande destaque na região.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *