Obesidade e sedentarismo elevam o número de casos de diabetes entre mulheres

O Ministério da Saúde informou recentemente que os casos de diabetes do tipo 1 e 2 aumentaram entre as mulheres na última década. O número total de pessoas com a doença também saltou para um total de 61,% no período analisado. Contudo, o grande destaque da doença foi em relação às mulheres, que passaram a ter a estatística de um caso da doença a cada 10 mulheres brasileiras. Em conjunto, os níveis de obesidade e sedentarismo fizeram com que as mulheres se tornassem as maiores vítimas do diabetes no país.

O ministério informou que o índice de obesidade também subiu no país com um salto de 60% entre o período que vai de 2007 a 2016. Atualmente, a população considerada obesa no país já atinge os 18,9%, segundo os dados fornecidos pelo governo. Contudo, o índice em relação ao grupo feminino é ainda maior, atingindo cerca de 19,6% das mulheres. Já o índice de sobrepeso diz que metade dos brasileiros, um total de 53,8%, estão mais pesados do que deveriam.

O médico da SBD – Sociedade Brasileira de Diabetes, e da SBEM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, João Eduardo Nunes Salles, disse que as doenças estão diretamente relacionadas entre si. Salles ainda faz o alerta: “O aumento do diabetes se dá basicamente pelo aumento da obesidade e do sedentarismo, é a mesma relação. Às pessoas morrem de medo de ter diabetes, mas não tem medo da obesidade”.

Por causa do aumento do número de mulheres com diabetes, neste ano o governo federal lançou uma campanha com o tema “Mulheres e Diabetes – Nosso direito a um futuro saudável”, a fim de conscientizar o público mais afetado no Brasil sobre a importância da prevenção da doença. A campanha foi iniciada no dia 20 de novembro, data em que se comemora o Dia Mundial do Diabetes, e teve ações voluntárias voltadas para o público feminino em diversas regiões do país até o dia 21 do mesmo mês.

Salles destaca que o público mais afetado pela doença são as mulheres com idade superior a 35 anos, com hipertensão arterial, obesidade abdominal e triglicérides elevados. Esse quadro compõe o maior fator de risco para o desenvolvimento do diabetes. “Todas as mulheres nessa condição estão sob o risco eminente de ter diabetes, mas muitas não se cuidam”, revela Salles.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *