Balança comercial brasileira termina julho com superávit de US$ 4,227 bilhões

Segundo os dados divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio e Exterior e Serviços, o MDIC, o Brasil fechou o mês de julho com a balança comercial em superávit, totalizando US$ 4,227 bilhões no período. O aumento no índice de importações foi um dos grandes responsáveis pelo balanço positivo do mês, cujo montante é o terceiro melhor já registrado, ficando atrás apenas do mês de julho de 2017, que somou US$ 6,285 bilhões, e do mesmo período de 2016, quando o saldo positivo foi de US$ 4,575 bilhões.

Tais notícias positivas para as exportações brasileiras seguem a tendência de recuperação econômica nacional, ainda lenta e gradativa. O montante apurado no valor das exportações em julho foi de US$ 22,870 bilhões, com alta de 16,4 % em comparação com o mesmo mês de 2017. Em termos de importações, o valor calculado foi de US$ 18,643 bilhões no período, com uma taxa de crescimento de 42,7% em comparação com julho de 2017.

Estendendo a análise para um período maior, de janeiro a julho de 2018, o superávit acumulado pela balança brasileira é de US$ 34, 160 bilhões. O montante representa uma queda significativa de 19, 6% se comparado ao resultado obtido no mesmo período do ano passado. Mesmo com o saldo negativo registrado, o valor é o segundo maior já registrado na história econômica nacional, ficando atrás somente do resultado obtido nos sete primeiros meses de 2017.

A venda de produtos básicos foi a que mais cresceu segundo as pesquisas, com 48,3 % de aumento no período. Os produtos manufaturados e semimanufaturados apresentaram uma queda significativa, com -6,2% e -11,8%, respectivamente. Na área das importações, os ramos que mostraram crescimento foram os de bens de consumo, que registraram 20,1% de alta, bens intermediários, com 22,3% e, por fim, o setor de combustíveis e lubrificantes, com taxa de 0,5% de aumento no mês.

No acumulado de 2018, a venda de produtos básicos e manufaturados mostraram um crescimento de 10,6% e 6,6%. O ramo de semimanufaturados registrou uma leve queda de 1,4%. Aumentaram também as importações de bens de capital, com 83,7% de alta, bens de consumo, 16,9 %, e dos bens intermediários, que registraram alta de 12,2%.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *