Problemas com sua operadora? Conheça seus direitos!

Com o crescimento do sinal digital, da rede 4G e do uso da internet banda larga, o que também cresceu foi o número de reclamações de clientes das prestadoras de telefonia e banda larga, segundo uma pesquisa realizada em 2017 pelo site Olhar Digital, 70% dos brasileiros estão insatisfeitos com sua operadora.

Acontece que grande parte da população desconhece seus direitos e por essa razão deixa de buscar auxílio jurídico para resolver sua situação e através disso, acaba por pagar mais alto sem reclamar seus direitos.

O consumidor que não estiver contente com sua prestadora devido ao má prestação de serviço oferecido pela mesma e estiver interessado em efetuar o cancelamento mas não o faz por receio de ter que efetuar o pagamento da multa de fidelidade, fique despreocupado pois conforme regulamento da Anatel, a Agência Nacional de Telecomunicações, o consumidor fica desobrigado ao pagamento de multa se não tiver obtido uma boa prestação de serviço por parte da operadora.

O consumidor talvez não saiba que tem o direito de efetuar o cancelamento através de menu eletrônico, ou seja, sem a necessidade de falar com um atendente.

E caso fale com um atendente e a ligação cair, é dever do atendente retornar a ligação para o consumidor para dar continuidade no atendimento que já estava prestando anteriormente.

Muitos clientes também não sabem mas a prestadora é obrigada a fornecer uma gravação do atendimento prestado mediante pedido prévio.

Mesmo com todas essas regras da Anatel existem prestadoras que ainda conseguem infringi-las e se isso ocorrer com você, procure o Juizado Especial Cível de sua cidade e solicite entrar com uma ação judicial para obter juridicamente o que é de seu direito.

No Juizado Especial Cível não é necessário advogado, não existem custos honorários nem custo com as causas para o autor e existe o benefício da celeridade processual, isto é, o processo tramita mais rapidamente que na Justiça Comum, sendo um benefício tanto para o autor quanto para o réu, uma vez que o problema pode ser resolvido ainda na primeira audiência, que é de conciliação, onde a empresa ré pode oferecer um acordo e o autor pode aceitar, encerrando nesse momento a lide judicial.

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *