Como ser um empreendedor social

Se você está pronto para lançar um negócio, mas também quer causar um impacto social real, o modelo de empreendedorismo social pode ser o certo para você. Veja como começar.

Uma empresa social é uma organização que serve a um propósito social ou ambiental, gera renda a partir de atividades empresariais e reinventa seus lucros de volta à condução de sua missão.

Exemplos e notícias incluem Escolas Africanas de Excelência (fornecer escolas de classe mundial para comunidades pobres a baixo custo); Mãos de Honra (upcycles desperdiça e fornece emprego para ex-viciados em drogas e ex-condenados); e meu próprio empreendimento social, Nkazimulo Applied Sciences (ajuda os jovens a se tornarem cientistas, independentemente de sua formação). Algumas pessoas dizem que a maior parte dos lucros deve ser reinvestida na missão, mas outros dizem que um trabalhador vale seus salários.

Fazendo negócios de forma diferente: O empreendedorismo social é uma maneira diferente de fazer negócios. Anteriormente, poucas pessoas se importavam se uma empresa fazia bem ou não. Hoje, os estabelecimentos de alimentos que servem opções de alimentação saudável estão aumentando sua participação no mercado, porque os consumidores agora se preocupam com sua saúde.

A agricultura responsavelmente abre o crescente mercado que se preocupa com o meio ambiente. Mais pessoas se importam com a qualidade da educação As crianças sul-africanas têm acesso e apoiam os esforços nesta área. É aqui que os empreendedores sociais podem fazer uma diferença real e sustentável.

A entidade pode assumir qualquer forma legal, de uma organização sem fins lucrativos, para uma empresa privada, um trust ou adotar uma estrutura híbrida. Cada um tem os seus prós e contras. Empresas sociais tomam atributos de entidades comerciais.

Eles geram renda de atividades de negócios. Eles também pegam atributos de organizações sem fins lucrativos e departamentos governamentais, enfrentando desafios anteriormente abordados por essas organizações, como pobreza, desigualdade, educação precária e desemprego.

Eles funcionam com mais eficiência e são mais responsáveis ​​e transparentes do que as organizações do setor público. Eles são menos dependentes de financiamento externo do que organizações sem fins lucrativos e instituições de caridade. Em todo o mundo, não há financiamento suficiente para todas as organizações sem fins lucrativos que o procuram.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *