O horário de verão e sua necessidade ainda contraditória

O horário de verão termina no próximo domingo dia 17 de fevereiro de 2019, e dessa forma, 10 estados além do Distrito Federal terão que atrasar (ajustar) em 1 hora os relógios. E isso se restringe aos moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, que tiveram o início do horário de verão às 0 hora do dia 4 de novembro e o mesmo será terminado também às 0 hora do dia 17 de fevereiro de 2019, com o atraso do relógio.

O horário de verão tem sofrido uma certa resistência a sua continuação e há notícias e planos para que possa vir a ser extinto, uma vez que a economia agregada com tal sistema não tem gerado tanta relevância, já que medidas de enxugamento de gasto energético foram sendo tomadas com o passar dos anos, como por exemplo, a extinção das lâmpadas incandescentes, e a passagem para as fluorescentes, o que gerou uma economia de energia absurda, e para tal, vem sendo as fluorescentes já sofrendo um maciço processo de conscientização de migração para as lâmpadas LED, que geram uma economia maior ainda, embora essas lâmpadas ainda sejam muito pouco acessíveis, já que o preço das mesmas é bem elevado quando comparado às demais.

De acordo com a professora-doutora em economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Juliana Inhasz, não tem sido tão lucrativo a adaptação ao horário brasileiro de verão, já que mesmo com o maior tempo de acesso a luz solar no horário comercial, ainda assim as pessoas tem estendido seus horários de trabalho e elevando os gastos com energia elétrica, e além disso também não tem sido mais tão incisa a necessidade quanto a algum racionamento ou processo de crise hídrica, o que pode provocar problemas de abastecimento de energia elétrica. E dessa forma há algumas pessoas que relatam mais pontos negativos do que positivos quanto a qualidade de vida, já que na maioria das opiniões ouvidas o maior problema é ter que sair de casa com o da ainda escuro, o que provoca mais cansaço, insegurança e o medo de perder o horário para o trabalho. E ainda assim, os dados mais atualizados quanto ao total de economia gerada com o horário de verão de 2019 ainda não foi montado um resultado do comportamento desse cenário e um quadro comparativo entre os anos anteriores de consumo energético e de valores.

 

Serviço de streaming da Apple pode ser lançado antes do previsto

De acordo com o site de tecnologia norte-americano The Information, apesar da Apple ainda não ter divulgado oficialmente uma data de lançamento para o seu tão aguardado serviço de streaming de vídeo, o mesmo deve acontecer muito em breve, possivelmente no mês de abril de 2019.

O site destacou que esteve em contato com três fontes diferentes sobre essa questão, e que a Apple já está com as conversas avançadas para fechar contrato com produtoras e estúdios cujas produções serão exibidas nessa plataforma. Seguindo essas previsões, o serviço poderá ir ao ar em meados de abril.

Entre os estúdios que possivelmente firmaram parceria com a Apple, está a produtora A24, que é conhecida por filmes premiados como “Moonlight: Sob a Luz do Luar”, que venceu o Oscar de Melhor Filme em 2017, e a produtora Oprah Winfrey Network, que pertence a apresentadora Oprah.

Por enquanto, ainda não existem informações e nem especulações sobre quanto seria o valor desse serviço de streaming. Contudo, alguns rumores que circulam pela imprensa dos Estados Unidos indicam que o serviço poderia ser gratuito para os usuários de dispositivos da marca, como iPhone e iPad.

Ao mesmo tempo em que os planos da Apple parecem tomar forma, outro serviço de streaming de vídeo que promete trazer novidades, também em abril, é o Disney+. Segundo notícias internacionais, a Disney já irá apresentar uma prévia do serviço para os investidores, o qual tem previsão de lançamento para o final de 2019.

Com ambos os lançamentos, a Apple e a Disney irão trazer ainda mais competitividade para um mercado que já está muito concorrido, o qual é formado pela presença de gigantes como Netflix, Amazon e HBO, além da Hulu, que apesar de não estar disponível do Brasil, é bem forte em vários países.

As notícias da mídia internacional apostam que o desempenho de cada serviço de streaming dependerá diretamente da qualidade do conteúdo disponível. Para não ficar para trás, a Apple tem tentado fechar parceria com produtoras reconhecidas do meio.

Além do exemplo citado, já sabe-se que o serviço da marca terá séries exclusivas dirigidas pelos diretores Damien Chazelle, de “La La Land”, e M. Night Shyamalan, de “O Sexto Sentido”.

Manaíra Shopping, fundado por Roberto Santiago, impacta positivamente a comunidade

Os locais de comércio há muito tempo são uma atração em culturas de todo o mundo por sua capacidade de reunir pessoas para um propósito comum. Os bazares ao ar livre serviram tradicionalmente como ponto de encontro em muitas culturas do Oriente Médio, os antigos gregos tinham vastas praças públicas para o comércio de mercadorias e os primeiros relacionamentos entre a Europa e a Ásia eram definidos pelo comércio e comércio que surgiam entre os continentes. A importância dos empreendimentos comerciais de uma perspectiva social também continuou na era moderna. Para entender melhor esse fenômeno e como ele afeta a vida hoje, vamos dar uma olhada na maneira contemporânea como o comércio é conduzido – o shopping center. Para nos ajudar a entender melhor essa instituição, veremos o Manaíra Shopping, um ótimo exemplo do que as compras modernas podem fazer.

 

Criação inicial e propósito!

O trabalho no Manaíra Shopping, que foi fundado por Roberto Santiago , começou no estado brasileiro da Paraíba em 1988, com o início das obras. O processo de construção foi executado de forma eficiente e abriria caminho para o próprio shopping center abrir no ano seguinte, em 29 de novembro. Embora o shopping acabasse por crescer em tamanho como resultado da contínua expansão e melhoria do centro, a configuração inaugural ainda era capaz de abrigar 94 lojas e cobria um total de 12.000 metros quadrados.

 

O shopping há muito tempo mantém o seu slogan, “Sempre pensando em você“, como uma maneira de lembrar os clientes e a equipe quanto ao propósito do complexo. Este slogan manifestou-se nas operações do centro de várias formas ao longo dos anos, como o foco no aumento do tamanho e da capacidade do shopping em si. De um modo mais geral, serve como um lembrete do papel do centro na vida pública como um local de encontro e uma área na qual os consumidores podem atender suas necessidades através do fácil acesso ao comércio de todos os tipos.

 

Junto com o slogan que ilustra a filosofia por trás do complexo, muito pode ser entendido sobre sua história, examinando o impulso do proprietário, Roberto Santiago, e por que ele procurou fazer tal centro ( Facebook ). Ao discutir sua inspiração, o empreendedor aponta para conversas e debates com seu pai antes de cimentar o conceito em sua mente. Embora esses diálogos tenham desafiado o empresário a criar a melhor versão do complexo que ele procuraria construir, eles também foram fundamentais para aperfeiçoar seu conceito do que ele queria realizar. Ele credita este nível de apoio paterno e orientação a ser um fator importante em seu sucesso.

 

De acordo com o tema do impacto familiar no projeto, talvez não seja surpreendente que o próprio filho de Santiago tenha se tornado uma parte crucial da equipe do complexo de compras. Ao ser capaz de confiar no maior nível de dedicação dos esforços de seu filho, o empresário foi mais capaz de se concentrar em uma ampla gama de aspectos do projeto que lhe chamaram a atenção. Essa presença do pai e do filho nos aspectos cotidianos das operações do complexo serve para ressaltar não apenas o sucesso do empreendedor, mas também seu compromisso com a importância dos valores familiares em tudo o que faz.

Dicas Essenciais de Produtividade

Ser um empreendedor pode ser um verdadeiro malabarismo. Se você não está constantemente tentando melhorar sua produtividade, é apenas uma questão de tempo até que todas essas bolas caiam. Aqui estão algumas dicas para melhorar sua produtividade como um empreendedor ocupado e conseguir administrar sua fonte de economia.

Use blocos de tempo – Saiba quando você é mais produtivo: Se você se esforça para focar ou priorizar tarefas, os blocos de tempo podem ser a resposta.

Estes são mini blocos de horários programados ao longo do dia (por exemplo: Resposta a e-mails, 9h10 – 9h30). Durante cada bloco, você se concentra em uma tarefa muito específica e ignora todo o resto. Isso permite a máxima eficiência e garante que você cruze todos os itens prioritários do dia.

Implementar Responsabilização: É incrível como a responsabilidade pública pode nos motivar. Estabeleça metas, mesmo que seja apenas sua lista de tarefas para o dia / semana. Em seguida, compartilhe-os com um colega de trabalho, amigo ou sua equipe. Sabendo que você terá que reportar e responder por não atender a essas metas, pode adicionar a motivação extra que você precisa para vê-las.

Não faça multitarefa: Seus dias estão inexplicavelmente ocupados. Quando possível, evite multitarefas e concentre-se no trabalho que tem em mãos.

Quando você está sendo puxado em centenas de direções diariamente, é fácil saltar de tarefa em tarefa. No entanto, isso é ineficiente – os trabalhos são deixados abertos e incompletos, ou erros são cometidos devido à simples supervisão. Manter o foco em uma única tarefa até a conclusão garante que ela seja riscada e feita com o máximo potencial.

Cortar Distrações: Mais fácil falar do que fazer, mas tente cortar distrações desnecessárias ao longo do dia – como a navegação nas redes sociais. Isso pode significar colocar o celular na sala ou até mesmo instalar um “bloqueador” de aumento de produtividade no seu computador.

Aprenda o poder do não: Somente atribua seu tempo às tarefas mais valiosas, que ajudam você a atingir suas metas. Às vezes, isso pode significar dizer “não” a novos projetos, clientes ou responsabilidades que não o farão crescer na direção desejada.

Impacto da Globalização nas Pequenas Empresas

O que se segue é uma história clássica, freqüentemente usada pelos socialistas para destacar os “males de uma sociedade de economia capitalista” – a mercearia da pequena cidade é impiedosamente retirada pelo novo Wal-Mart na cidade. A mercearia da pequena cidade pode ter uma base de clientes estabelecida e relações amistosas com a comunidade, mas simplesmente não consegue igualar os baixos preços oferecidos pelo Wal-Mart. Sendo uma grande empresa nacional, o Wal-Mart tem amplos recursos globais e está disposto a sacrificar as margens para eliminar concorrentes locais. No final, a lealdade do cliente não significa nada e o merceeiro vai à falência, décadas de trabalho duro dizimado durante a noite. Esta é uma anedota bem conhecida, referindo-se ao impacto da globalização sobre as pequenas empresas. Depois de iniciar um novo negócio, você mergulha em um oceano povoado por alguns peixes menores, que competem com você por comida, e muitos maiores, ansiosos para te comer vivo. Os peixes grandes no mar tendem a ser bem conectados, bestas multinacionais aproveitando ao máximo as vantagens da globalização – tais como terceirização, taxas de câmbio desiguais e modelos de vendas de baixo volume e alta margem – tornando-os quase impossíveis de competir. Quais são os impactos da globalização no pequeno empresário, e como você pode se defender dos golpes que inevitavelmente surgem em seu caminho?

Marcas Globalizadas. Em “O Manifesto Comunista”, Karl Marx notoriamente alertou que pequenas empresas locais serão inevitavelmente eliminadas por grandes empresas multinacionais em uma forma de capitalismo imperialista. Segundo ele, a destruição de empresas locais leva à perda da cultura local e à ascensão de uma cultura corporativa anônima singular, que varia apenas de país para país. Visitando a China hoje, é difícil argumentar com as palavras de Marx. A paisagem urbana está repleta de KFCs, Pizza Huts, McDonald’s e Starbucks. Uma viagem a uma loja de departamentos chinesa é virtualmente idêntica a uma na América, com as mesmas marcas multinacionais – Armani, Coach, Chanel, Gucci – alinhando os corredores como uma loja anônima de duty-free.

No entanto, de uma olhada mais de perto, as empresas multinacionais de hoje estão muito longe dos sinistros imperialistas que Marx profetizou.

O trabalho à distância nos dá a possibilidade de trabalhar enquanto desfrutamos de viagens

A nova modalidade de trabalho, chamada home office, está criando novos perfis de trabalhadores, os quais não possuem escrivaninha, não precisam se deslocar aos centros empresariais, mas, pelo contrário, se afastam para ilhas paradisíacas e vivem se movendo como nômades.

Mas enquanto a ideia de trabalhar em um local tropical pode ser um sonho para muitos, não acontece sem trabalho duro e desafios. De fato, grande parte da cultura é construída em torno da perpetuação de um sonho, de modo que os trabalhadores de cubículos podem viver indiretamente através dos poucos corajosos que são capazes de abandonar o estilo de vida nômade – muitas vezes sem mencionar as desvantagens de tal liberdade radical.

As tecnologias que tomamos como garantidas em nossas vidas diárias – internet sem fio de alta velocidade e ferramentas e plataformas de produção amigáveis ao usuário – permitiram economias inteiras construídas em torno da cultura digital, mídia social e influência on-line, e fizeram essa ciência realidade de ficção.

Nesse sentido, destinos em todo o mundo, de Chiang Mai, na Tailândia, a Medellin, na Colômbia, tornaram-se polos para nômades digitais, atraindo viajantes autônomos “independentes de local” com uma combinação atraente de climas temperados, paisagens de tirar o fôlego, Wi-Fi confiável espaços de coworking – onde trabalhadores autônomos se reúnem com o mesmo objetivo – sem mencionar um baixo custo de vida.

De acordo notícias referentes à pesquisa da Gallup, mais da metade da população dos EUA já trabalha remotamente, pelo menos em parte do tempo, e esse número está aumentando. “Podemos atribuir o aumento no trabalho remoto a uma confluência de fatores; o mais óbvio, é claro, é o impressionante crescimento da comunicação pela Internet e móvel”, diz Brooke Erin Duffy, professora assistente do departamento de comunicação da Universidade de Cornell.

Entretanto, existe os pontos negativos de tal modalidade de trabalho. Os elementos menos glamourosos do estilo de vida nômade “estão estrategicamente escondidos”, diz Duffy.

“Nós vimos uma idealização mais ampla do trabalho independente nos últimos anos, e a celebração do nômade digital é um lugar chave para testemunhar como certas características deste estilo de trabalho são subestimadas”, explica Duffy. Ela cita a natureza intermitente do emprego, a falta de estabilidade ou benefícios e, principalmente, as repercussões sociais.

Johnson aponta que muitos dos serviços oferecidos nos espaços de coworking que têm como alvo os nômades digitais são projetados para lidar com a inevitável solidão do estilo de vida, promovendo um senso de comunidade com “coisas como estações de trabalho, convivência ou trabalho conjunto”.

Então, talvez haja uma troca entre aqueles corajosos o suficiente para deixar tudo para trás e aqueles que ficam mais perto de casa, talvez acorrentados a uma mesa e comprometidos com uma hipoteca, mas com o benefício de amigos e da comunidade.

Personalidades diferentes com papéis diferentes

Um bom gerente é capaz de olhar as coisas racionalmente e aplicar o raciocínio lógico quando se trata de resolver problemas e estabelecer metas. Como o objetivo é focar no cumprimento efetivo de metas, o gerente precisa entender as realidades que está enfrentando. O pensamento racional é essencial para alocar os recursos e estabelecer os objetivos para a equipe.

Analítica – A capacidade de analisar detalhes e encontrar as conexões entre os processos pode impulsionar a maneira como um gerente opera. O pensamento analítico pode ajudar a identificar objetivos e o uso adequado dos recursos.

Capacidade de resolver problemas – Um gerente também deve ser bom em resolver problemas. Se a equipe encontrar um problema, o gerenciamento deve estar no centro de encontrar uma solução. Isso requer uma cabeça fria, uma mente inteligente e pensamento rápido.

Carisma – Como um líder precisa inspirar os subordinados a seguir sua causa, o carisma é uma característica importante. O carisma ajuda o líder a criar um ambiente de negócios positivo que inspire outras pessoas a agir. Como um líder não deve forçar ou intimidar as pessoas para realizar as tarefas necessárias, as habilidades carismáticas podem aumentar as chances do líder de envolver seus seguidores.

Inovador – Um líder também deve mostrar muitas habilidades inovadoras. Liderança é sobre a transformação em sua essência e a mudança sempre requer a capacidade de pensar fora da caixa . Um líder precisa ser capaz de analisar problemas, mas também em situações existentes, e descobrir maneiras diferentes de mudar as coisas.

Visionário – Semelhante a ser inovador, um líder deve ser um visionário. Uma visão forte e realista garante que os seguidores ouçam o líder e trabalhem duro para atingir o objetivo. Um líder não será capaz de inspirar os subordinados planejando planos que não sejam desafiadores, transformadores e inspiradores. Um verdadeiro líder deve ter a capacidade de ver além do futuro .

Flexível – Liderança requer muita flexibilidade porque você está lidando com pessoas e não com tarefas. Como as pessoas estão no centro da abordagem, o líder deve ser capaz de acomodar e responder a situações que podem não ter sido esperadas. Como a persuasão deve fazer parte do conjunto de habilidades do líder, o líder também precisa ser flexível em sua abordagem para resolver situações de conflito.