Indústria paulista encerra o mês de março com 500 novos postos de trabalho

A indústria paulista registrou estabilidade na geração de emprego no mês de março de 2019. De acordo com as notícias divulgadas pelo Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), os dados ainda mostram uma variação positiva para a geração de emprego de 0,03% durante o período, onde foram geradas 500 vagas. No entanto, quando os dados são observados sem o ajuste sazonal a variação cai para -0,44%.

Já no encerramento desse primeiro trimestre, a federação e o centro das indústrias informaram que houve uma redução na quantidade de empregos gerados durante o período em comparação com o primeiro trimestre de 2018. Neste ano, os primeiros três meses registraram 12 mil novas vagas de trabalho gerados, enquanto que no ano passado o resultado foi de 22 mil postos de trabalho. O resultado deste ano está bem próximo do que foi observado em 2017, quando a indústria de São Paulo gerou 12,5 mil postos de trabalho.

Essa diminuição no total de vagas geradas durante o 1º trimestre pode ter sido motivada por diversos fatores. As chuvas, por exemplo, podem ter impactado fortemente na geração de empregos na indústria de São Paulo, considerando que isso afetou a contratação de novos trabalhadores nas usinas de cana-de-açúcar.

Em relação aos diferentes setores da economia, os dados sobre a indústria paulista mostraram que 55% dos setores econômicos tiveram variações negativas em relação a contratação de novos funcionários em março deste ano. Dentre os setores, 7 apresentaram mais contratações do que demissões, 12 demitiram mais do que contrataram e 3 continuaram estáveis em março.

O principal destaque em relação a geração de novas vagas de trabalho foi para o setor de produtos alimentícios, que registrou um total de 1.733 vagas de trabalho geradas em março. Em seguida, os segmentos de derivados de petróleo, coque e biocombustíveis apresentaram 844 vagas geradas e o setor de produtos têxteis fechou o mês com 225 novos postos de trabalho.

Já em relação ao déficit, o segmento de máquinas e equipamentos apresentou maior variação negativa, demitindo 525 trabalhadores, seguido do setor de produtos de metal, com 514 demissões e do setor de carrocerias, reboques e veículos automotores, com 311 demissões durante o mês de março.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *